Olá, cruise lovers! É verdade que amamos os navios, mas vocês sabem como começaram as viagens marítimas? De onde vieram os primeiros navios, como começaram as viagens a lazer… Tudo isso faz parte da história dos cruzeiros, e, neste artigo, vamos contar para vocês a origem da nossa paixão.

Túnel do tempo: o primeiro navio

Em 24 de maio de 1819, o mundo presenciava a primeira travessia do Atlântico por um navio a vapor. Ele levou quase um mês para viajar dos Estados Unidos até a Inglaterra, usando as velas, o motor a vapor e as pás laterais. No entanto, esse equipamento só foi possível graças à Robert Fulton que inventou, 10 anos antes, o primeiro barco movido a esse tipo de motor.

Contudo, até 1891, os veículos eram dedicados somente às trocas comerciais entre continentes e ao fluxo de pessoas fugindo de seu local de nascimento. As condições eram deploráveis: muitas doenças se espalhavam, além da escassez de comida, falta de espaço e a chance de afundar. Isso até que Albert Ballin teve a magnífica ideia de usá-los como lazer.

Leia:

MSC World Cruise 2023: volta ao mundo com muito conforto e elegância

Retomada de cruzeiros na Europa e novas perspectivas para a América do Sul

A história dos cruzeiros: o começo das viagens marítimas à lazer

A história dos cruzeiros marítimos como forma de lazer começou no final do século XIX, quando Ballin teve a brilhante ideia de usar um navio chamado Augusta Victoria para levar 174 navegantes alemães para conhecerem terras de climas ensolarados. Foi aí que ele descobriu o balde de ouro e decidiu investir mais na ideia. A companhia Hapag, onde ele trabalhava, virou, portanto, pioneira nesse ramo. A maior demanda era por destinos quentes, como Nápoles, na Itália e Constantinopla (atual cidade de Istambul, na Turquia).

Titanic: o capítulo triste da história dos cruzeiros

É inevitável falar sobre a história dos cruzeiros sem citar o Titanic, o relato mais conhecido nesse contexto. Isso porque, na época (1912) que foi lançado, era o maior navio do mundo. Nesse sentido, o plano era construir o meio de lazer mais luxuoso e seguro do mundo. Aliás, os boatos da época diziam que ele era “inafundável”.

Com 1.500 pessoas da elite estadunidense a bordo, sua rota iria de Southampton até Nova Iorque passando pela França e pela Irlanda. No entanto, a viagem não foi concluída, uma vez que o gigante colidiu com um iceberg, que abriu espaço para a água invadir aproximadamente seis compartimentos. Consequentemente, ele naufragou aproximadamente três horas depois.

Os cruzeiros atuais

Embora a história do Titanic cause arrepios, você pode ficar tranquilo na hora de fazer um cruzeiro, afinal, hoje em dia os navios são altamente seguros e cheios de equipamento de segurança para que eventos do tipo não ocorram novamente. Além disso, outras melhorias ocorreram e agora os transatlânticos são verdadeiras cidades flutuantes. Por exemplo, algumas das estruturas que temos a bordo atualmente são:

  • Salão de jogos;
  • Simuladores;
  • Cinemas;
  • Parques aquáticos;
  • Restaurantes;
  • Brinquedotecas.

Entre outras áreas de lazer, uma vez que você pode desfrutar do passatempo que preferir.

Nesse sentido, você pode sempre contar com a Quero Navegar para cuidar da sua viagem. Afinal, queremos que você faça parte da nossa história!

Leia também:

Chilli Mob Cruise está confirmado para 2021 com música, moda e arte

E aí, o que achou do conteúdo? Assine nossas newsletters e comente aqui suas experiências. Escreva-nos para tirar suas dúvidas, ou ainda, compartilhe nossos conteúdos se você achar que irá ajudar algum amigo. Siga-nos no Instagram, Twitter, curta nossa página do Facebook e acompanhe nossos vídeos no Youtube. Caso queira nos contatar por telefone, nosso número é o  (11) 2887-1316, WhatsApp +55 11 94037-9553,  e-mail.

Open chat
Chame no Whatsapp